quarta-feira, 20 de abril de 2011

Como exercitar a mente? Atividades para o autoconhecimento!




Nunca esteve tão em alta a abordagem do assunto relacionado com a temática, mente humana. Vemos cursos, massagens , grupos de estudos, todos em busca de um só objetivo, conhecer e aprender a manipular os poderes da mente.
No decorrer dos tempos, estudos demonstraram que conhecemos pouco a capacidade que é inerente ao ser humano, e que há diversos campos de investigação a serem explorados.
A neurolinguistica, por exemplo, trabalha à partir da reprogramação de esquemas mentais, e possibilita a modificação e expansão da consciência, e o auxílio ao indivíduo na construção da ideia que se tem de mundo.
Façamos uma analogia, imaginemos uma massa de modelar, ela pode se dividida, condensada, expandida e/ou remodelada para a forma que se desejar, assim também é a mente humana, ela também pode ser alterada em sua forma, conteúdo e finalidade.
Na mente, encontramos a psiquê, quem sua constituição se dá à partir das impressões advindas do meio em que habitamos e das relações estabelecidas no decorrer da vida. Captamos sensações, conhecimentos com o auxílio dos cinco sentidos (olfato, visão, tato, audição e paladar); absorvemos “coisas” emprestadas dos outros; conceitos de certo e errado, novo e velho, bonito e feio e assim por diante, todo e qualquer pensamento, é um emaranhado de sensações já percebidas e ideias condicionadas a nossa mente; e se dá num determinado espaço (família, escola, trabalho) e tempo (infância, juventude e maturidade).
Esse empréstimo é feito ora de maneira ativa, com filtro da nossa atenção, selecionando o que devemos acreditar, ora de forma passiva, recebendo informações sem indagar a origem, o motivo e a finalidade da mesma.

• Como exercitar o autoconhecimento?
Iniciar o processo de conhecer a si mesmo, é acionar o botão de start do sistema operacional (mente humana), esse processo se dá, com o exercício de integração mental, com o auxílio de ferramentas como: auto-observação, renovação de conceitos, ajuste de pensamento-autoridade, desconstrução da realidade, dentre outros.
Iniciemos pelo exercício da auto-observação, no que consiste em fracionar o indivíduo em duas personagens, a primeira, o Ser Observador, aquele que terá sua consciência desperta, livre de pré-conceitos e memória, fará anotações e análise do segundo ser, o Ser Observado, o indivíduo em suas atividades habituais, agindo de forma passional e não atento para o que reproduz.



Esse processo em sua essência, consiste em detectar “falhas” no sistema operacional (mente humana), a fim de localizar onde e como se instalou tal pensamento-conceito, como num programa antivírus, deixando-o em quarentena, para estudo do caso, ou excluindo-o por completo, porém há a necessidade de “vacinação” periódica desse sistema, com o foco na atenção, na abstenção do inveterado hábito de memorização, pois o processo deve ser aprendido e não memorizado e por fim alcançando degraus que o conduzam à evolução consciente, o conhecer a si mesmo de maneira plena e serena.
Angel Ilanah

Um comentário:

the company of rock disse...

òtima,interessante e inteligente materia, adorei!

estou seguindo!

Segue eu tambem:
http://slayerbrasil.blogspot.com/